Carlos Abelhão

Carlos Abelhão escreve sua nova poesia "Largando tudo"

O que acontece quando experimentamos mergulhar dentro de nós mesmos? O que acontece quando damos ouvido a voz do coração? O resultado é apenas um, POESIA.

Nesse texto Carlos Abelhão, faz uma viagem para dentro de si mesmo e se mostra sem máscara, cuspindo suas verdades e suas loucuras como ele mesmo diz.  " minha poesia é um pedaço MIM é um fragmento de minha ALMA".


Largando tudo

Largando tudo, abandonando o visível, o palpável
Tornando-me vento, sumindo, apenas sendo sentido
Voando nas asas da imaginação
Morrendo no cotidiano, enterrado em existência.

Largando tudo, gritando, sendo lágrimas em silêncio
Tornando-me dor, sentido o mundo, mais pesado que o ar que inalo
Aterrissando sonhos, cultivando desencanto
Vivendo de futuro, arquitetando gênesis.

Largando tudo, desnudo de uma falsa moral
Sendo mais mentiras do que teatro
Sendo mais teatro do que eu mesmo
Gritando nuvem, sendo tempestade.

Largando tudo, brincando de ser Deus, plantando amor em pedra
Cultivando no jardim da vida, crisântemo, rosas e margaridas
Rasgando a alma em busca de um Blue Sky
Desculpe-me, mas hoje eu me fantasiei de Smile.

Eu sigo a canção e as letras não fazem sentido
As melodias são parte de uma partitura partida, prisão, pessoas poemas
Eu larguei tudo e me sinto nada
Nada feito mar, nada feito peixe, nadar feito Michael Phelps.

Eu vou ser sincero, os dias têm sido escuro
As noites longas, mas eu larguei tudo, o visível e o palpável
Plantei amor em pedra, fiz-me pedra, era necessário ser rocha
Agora sou vento.

Sobre o autor:

Carlos Abelhão
Poeta, Escritor, Compositor, Rapper, Músico, Militante do Movimento Hip Hop desde 2003,Estudante de Pedagogia, Ex-presidente do Instituto TamoJunto, Ex-Gerente de Juventude do ES, Produtor Cultural, Sócio do Núcleo de Atendimento a Comunidade Articulada e Organizada (grupo NAÇÃO), Educador social, Articulador, Ativista Comunitário, Pesquisador empírico de tecnologias sociais, idealizador do Sarau Poetizando e do projeto Coisa de Mulher que discuti o feminicídio e o protagonismo das mulheres nas favelas.

Em agosto de 2020, lançou seu livro ''Poemas Selecionados de Carlos Abelhão''.  Antes disso, no final de 2013, lançou seu livro de poesia Marginal Intitulada Um Tudo Do Meu Eu. Sua maior dedicação é o estudo do desenvolvimento comunitária por meio da arte, cultura, Intervenções Urbanas tendo como princípio as Políticas Públicas para Juventude e as políticas de promoção de igualdade racial.

Contato com o autor: Facebook

Veja mais novidades aqui